sábado, 11 de março de 2017

QUEBRANDO COCO, ROMPENDO PARADIGMAS.



Elas acordam cedo, quando se reúnem em pequenos grupos para quebrar os pequenos cocos e retirar sua preciosa amêndoa, uma fonte de renda que ainda predomina em nossa cidade, as mulheres quebradeiras de coco babaçu de Capinzal do Norte, um exemplo bem sucedido da convivência equilibrada entre humanos e o meio ambiente, cuja história está intimamente ligada à luta contra a privatização do uso da terra e dos babaçuais.
 Das folhas das palmeiras são feitos cestos, cercados e a cobertura das casas, da casca do coco tiram o carvão, usado na cozinha. Do gongo, larva que fica dentro da amêndoa, fazem frituras.

REVEJA A MATÉRIA

Nenhum comentário:

Postar um comentário